(11) 2626-2637 | (11) 96128-2637
Administrativo

Para obter bons resultados na gestão, os recursos escolares precisam ser alinhados. Isso significa que a integração deve estar presente em todos os processos. Com setores interligados, a instituição funciona em sinergia, já que uma ação influencia a outra, sem a necessidade de repetições e retrabalhos.

A pergunta de ouro é: como conseguir alinhar todas as áreas e pessoas, evitando problemas de comunicação e melhorando o desempenho? A resposta está neste post. Ficou curioso? Venha conosco e descubra!

Em que consiste a integração de recursos escolares?

Imagine um motor funcionando: diversas engrenagens girando em sincronia para dar força a uma ação. Da mesma forma se dá a organização da escola, e se uma das peças para de funcionar ou sai do ritmo por algum motivo, todo o trabalho está comprometido.

Integrar recursos escolares é sobre fazer com que todos os elementos relacionados aos serviços prestados funcionem em harmonia, colaborando entre si. A ideia é que cada ação impacte diretamente o sistema ao qual pertence, continuamente, gerando um ciclo.

Cadastros, informações financeiras, conteúdos acadêmicos, dados letivos, calendários escolares, contato com pais e alunos, enfim: tudo isso deve se comunicar automaticamente, atualizando o que for pertinente para todos os envolvidos em cada processo.

Qual é o impacto desse método na produtividade da escola?

Em um cenário no qual todas as pessoas envolvidas estão a par do andamento dos procedimentos e têm facilidade para desenvolver suas funções, a produtividade é beneficiada. O resultado disso é refletido para pais e alunos, que recebem os melhores serviços e atendimento. Veja como funciona!

Centralização de processos

Um grande problema acontece quando os setores não se comunicam. Se o responsável pelo aluno paga a mensalidade e essa informação não chega depressa à área de cobrança, por exemplo, isso pode gerar um grande transtorno com o pagador em questão, chegando a constranger o aluno, além da perda de tempo e desperdício de recursos.

Quando há um integrador de recursos, acontece o lançamento automático de ações e acontecimentos. O sistema trata de atualizar informações em tempo real, disparando avisos quando necessário, conforme as atividades vão acontecendo. Isso vale para a área de finanças e relacionamento, mas também para todas as outras.

Alinhamento de perspectivas

Outro ponto positivo de contar com a integração de recursos é que todas as pessoas tenham todas as mesmas informações acessíveis, e isso inclui colaboradores, pais e alunos. No caso do calendário escolar, por exemplo, uma alteração da coordenação já torna o novo mapa de atividades vigente para todos que acessarem.

Mesmo que cada parte envolvida tenha uma necessidade diferente advinda do mesmo recurso — os processos de finanças, por exemplo, simbolizam coisas diferentes para cada área que usufrui deles —, todos estarão munidos das informações necessárias para sanar dúvidas, executar funções e dar o start no próximo passo, seja ele qual for. 

Acompanhamento do desempenho

Dessa mesma forma ocorre a respeito da comunicação entre escola, pais e alunos: os responsáveis podem acompanhar informações sobre mensalidades, desempenho acadêmico etc. Todas as interações e atualizações ficam salvas no cadastro, que reúne um arsenal de dados para melhorar o atendimento.

Além disso, o desempenho institucional é acompanhado de maneira vertical e horizontal, já que tanto a gestão quanto a equipe de trabalho consegue visualizar de forma dinâmica as atividades dos setores. Com o fluxo de processos padronizado, qualquer gargalo é facilmente identificável e, consequentemente, pode ser rapidamente dissolvido.

Como implantar a integração de recursos na escola?

Primeira decisão crucial para alcançar o sucesso na integração de recursos escolares: contar com orientação especializada. Embora existam muitos softwares de organização, é ideal que você escolha um voltado para gestão escolar, pois esse serviço entende as necessidades específicas da instituição e os desafios enfrentados por você nesse cenário.

Lembre-se de que nós somos experts nesse assunto, sendo assim, você sempre encontrará conteúdos educativos, preparados especialmente para auxiliar no crescimento da sua gestão escolar: assine a nossa newsletter para ter acesso e conte conosco!

0

Administrativo

O planejamento pedagógico é uma prática de gestão escolar que consiste na avaliação de um conjunto de aspectos (positivos e negativos) relativos ao processo de aprendizagem durante o ano letivo, visando aplicar melhorias para o ano seguinte. Sim, estamos falando de uma etapa que se inicia com antecedência nas instituições de ensino.

Por que essa prática é importante? É a partir dela que: metas da escola são acompanhadas e avaliadas; desempenhos abaixo do esperado são facilmente identificados; necessidades da escola são levantadas; e boas práticas são aplicadas para possíveis melhorias.

Em outras palavras, é como fazer uma raio-X do panorama pedagógico, diagnosticar problemas e casos de sucesso, discutir meios de aprimoramento, estabelecer novas metas e estratégias, e criar a programação para a próxima temporada.

Embora o conceito seja simples, a tarefa requer bastante esforço mútuo, o que muitas vezes leva a equipe a ter dificuldades em seguir os planos. Por isso, listamos as 3 melhores práticas para o seu planejamento pedagógico. Confira!

1. Integre todos os envolvidos no processo de aprendizagem

Um dos papéis mais importantes do gestor é promover o engajamento por parte de todos aqueles que influenciam no processo de aprendizagem. Portanto, o planejamento pedagógico oferece um ambiente propício para juntar todos à mesa e debater as principais questões.

Quando o planejamento é construído coletivamente, o gestor ganha uma oportunidade valiosa para colocar em pauta suas ideias e concepções. Por quê? Simples: uma equipe de especialistas na área pode ajudar a viabilizar o plano, seja contribuindo com sugestões, seja propondo ajustes.

2. Incentive o corpo docente a propor soluções

Você confia no potencial dos professores que atuam na sua escola, não é mesmo? Então considere o planejamento pedagógico o momento ideal para que esses talentos participem do futuro da instituição e, ao mesmo tempo, evoluam como profissionais de ensino.

Na medida em que o corpo docente se sente motivado e com autonomia para buscar soluções, os alunos são ainda mais beneficiados devido ao fato de que o professor é a pessoa que conhece eles a fundo. Ou seja, as metodologias propostas sempre terão como objetivo explorar o potencial e, também, suprimir as dificuldades individuais.

3. Revise o planejamento com frequência

Agora, queremos propor a você um momento de reflexão. Convite aceito? Então vamos lá: quando a gente se dedica a planejar algo para a vida pessoal, como economizar dinheiro para comprar um certo produto ou fazer uma viagem durante as férias, o que fazemos a cada mês ou semana que passa? Avaliamos o progresso, certo?

Com o planejamento pedagógico o acompanhamento não deve ser diferente. Afinal todas as ações estão sujeitas a falhas, da mesma forma que mudanças vêm a calhar no meio do caminho, logo não é interessante para a escola seguir o plano rígida e inflexivelmente.

Isso ajuda a evitar, por exemplo, que uma ação ou metodologia ineficaz seja colocada em prática durante o ano todo, em vez de revisar a questão e desenvolver uma ideia que possa surtir efeito nos meses que ainda restam. Por isso a revisão no segundo semestre é uma boa oportunidade para otimizar o planejamento pedagógico.

Aproveitando que o assunto aqui é planejamento, continue sua leitura e saiba, agora, o que é e quais são as vantagens do planejamento estratégico escolar!

0